Estado de Goiás

Resultados da Autoavaliação Institucional são apresentados à comunidade da UEG  

TOPO_Avaliacao_institucional

Foram apresentados nessa segunda-feira, 30 de março, os resultados das Autoavaliação Institucional 2014, da Universidade Estadual de Goiás (UEG). O procedimento, realizado anualmente, tem por objetivo verificar e fazer um diagnóstico do desempenho da Instituição, traçando assim ações que elevem a qualidade dos trabalhos desenvolvidos pela UEG.

Segundo dados do relatório de 2014, houve um aumento no número de adesões da comunidade acadêmica que participou da pesquisa. Tal acréscimo foi de 67%, com relação à participação em 2013. Com esses números, o processo de 2014 atinge a marca de 48% da comunidade acadêmica total que respondeu ao questionário avaliativo.

Segundo Jandernaide Resende Lemos, o aumento é bastante expressivo. “Em três anos atingimos 48% do total de pessoas que compõem a UEG. Considerando as avaliações realizadas nesta atual gestal. Isso é bastante significativo principalmente porque essa marca foi atingida logo no terceiro ano”, observa. A professora explica que a autoavaliação é uma cultura organizacional e que seus números crescem quando os resultados por ela levantados passam a ser visíveis para a comunidade.

“É uma cultura. Quanto mais as pessoas entendem que a avaliação se desdobra em resultados, que seus apontamentos levam a mudanças de estrutura, de rotinas e de aspectos cotidianos, mais vemos adesões”, analisa a docente Jandernaide Lemos.

Metodologia

A autoavaliação é composta por oito questionários direcionados de acordo com o papel desempenhado pelos sujeitos na Instituição – discente presencial, discente de Educação a Distância (EaD); docente, docente EaD, técnico-administrativo de câmpus, técnico-administrativo da Administração Central, gestores de câmpus e gestores da Administração Central.

Esses questionários seguem as dimensões estabelecidas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior para cada segmento, com conceitos que variam entre “ótimo” e “inexistente”. Tal conceituação avalia aspectos próprios da rotina de cada um dos segmentos, apontando às potencialidades e às fragilidades observadas. Dimensões como comunicação institucional, gestão de recursos e estrutura física são avaliadas.

Ponto que merece destaque no processo é a utilização de um sistema próprio. Desenvolvido pelo Núcleo de Inovação Tecnológica e Desenvolvimento de Sistemas, o sistema Qualitas de Avaliação Institucional permite o acesso da comunidade acadêmica, de qualquer lugar e horário, aos questionários. Não há, pois,  a necessidade de que o avaliador esteja presente em um dos ambientes da UEG. Ligado a outros sistemas da Instituição, o acesso ao Qualitas permite a identificação imediata e o respectivo direcionamento para o questionário que corresponde ao acessante.

“A UEG foi muito bem avaliada em 2014. Isso demostra que a comunidade passa a observar a autoavaliação como uma ferramenta para o seu crescimento. E isso se dá porque os gestores passam a utilizar os dados disponibilizados para traçar estratégias e melhorias. Essa é a relação: quanto mais utilizada para o planejamento de ações estratégicas, mais significativos serão os números apresentados. A comunidade passa a fazer da autoavaliação um instrumento para a melhoria da qualidade dos trabalhos da Instituição”, afirma Jandernaide.

Vale destacar que em 2014 houve o menor número, desde que o processo foi iniciado, de recomendações para a implantação de políticas de melhoramento e ajustes. A próxima edição da autoavaliação se inicia em setembro deste ano.

Notícia publicada em 31/03/2015
BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás